O impacto da transformação digital nas pequenas e médias empresas

Nos moldes do mundo comercial moderno, a transformação digital é o principal combustível para crescimento e expansão das empresas. Se algum gestor de um pequeno ou médio empreendimento deseja um atalho, a fim de otimizar seus processos e impulsionar a inovação, é preciso estar atento a esse conceito.


Como muito se tem falado sobre essa transformação, o termo acaba perdendo um pouco do seu valor e sentido. Vale ressaltar, contudo, que é possível recuperar a essência dessa concepção para aplicar e obter vantagens concretas.


É esse esclarecimento que desejamos propor neste artigo. Vamos fugir de concepções gerais e apresentar uma definição específica para ajudar a sua empresa a garantir crescimento e reconhecimento no mercado de forma simples e eficaz. Acompanhe!


O que é transformação digital?

A transformação digital representa um fenômeno de mudança, ruptura e revolução nas empresas. Significa um momento em que a companhia enfatiza a digitalização dos seus processos e o uso de tecnologia como um elemento-chave para o crescimento e para a sustentabilidade. A tecnologia se torna estruturante para as operações diárias, portanto.


Um dos pontos principais nesse conceito é a automação de processos. Com o uso de ferramentas inovadoras para digitalizar a empresa, ao cuidar de tarefas repetitivas, de alto volume e com alta incidência de erros, é possível transformar o ambiente operacional e liberar funcionários para outras funções.


A grande flexibilidade do termo "transformação digital" permite que essa automação signifique vários agentes: sistemas integrados que ajudam na realização dessas tarefas, robôs simples que manipulam dados e operações, bem como soluções robustas de Inteligência Artificial, Machine Learning e IoT (internet das coisas). As possibilidades são inúmeras, com benefícios reais para praticamente todos os setores.


Desse modo, a companhia se torna mais estratégica e menos operacional. A cultura digital faz com que as próprias tecnologias e a infraestrutura deixem de ser um peso para a gestão. O que permite que todos internamente foquem em demandas mais estratégicas e na sua expertise principal.


Outro ponto acerca da transformação é o uso de sistemas analíticos para a tomada de decisões. Eles aproveitam os muitos dados e rastros gerados nas operações do dia a dia: de dados de compra e venda processados a dados sobre clientes que chegam de alguma forma às aplicações internas.


A partir desses dados, que passam a ser encarados como ativos, é possível gerar insights para auxiliar a gestão nas decisões do dia a dia. Por exemplo: entender se é uma boa oportunidade realizar a queima de estoque e como gerenciar isso, quais produtos oferecer, etc. É viável responder perguntas sobre a performance da empresa e chegar a predições do que pode acontecer, de riscos a oportunidades futuras.


Outros conceitos fundamentais para a transformação são:


integração de dados e sistemas, com uma conexão maior entre as aplicações e com o apoio da automação para registrar informações em todos os softwares automaticamente;


mobilidade, com o uso de ferramentas móveis para controlar operações em qualquer lugar;


conectividade, com o apoio de aplicações cada vez menores que estão distribuídas pela empresa e que se comunicam entre si.


É importante destacar que esse termo é extremamente amplo e abrange inúmeras tecnologias e inovações. Por isso, para compreender com clareza como ele representa melhorias concretas para uma pequena ou média empresa é necessário entender que esse conceito pode ser aplicado de diferentes formas, em diferentes contextos. Não existe uma regra padrão para aplicação, que funcione em todos os nichos e em todos os tipos de negócios.


O que não é transformação digital?

Vamos continuar entendendo a transformação digital para pequenas e médias empresas com as definições do que esse conceito não é.


Primeiro: não é exclusividade de grandes corporações. As tecnologias estão cada vez mais acessíveis e disponíveis para pequenos negócios também, com preços mais baratos. Hoje, qualquer companhia pode começar essa jornada.


Segundo: não é a aplicação de uma única tecnologia ou de um único sistema. A transformação requer uma mudança cultural na postura dos gestores e dos colaboradores diante dessas inovações que adentram o ambiente operacional.


Terceiro: não é apenas para empresas de tecnologia. Por mais que envolva ferramentas, conceitos e ideias comuns no dia a dia dessas organizações, a transformação é uma tendência para todas as empresas, de todos os setores.


Por isso, inclusive, vemos a aplicação das disrupções tecnológicas na logística, no varejo, na indústria, no RH, no marketing, entre outros.Todas essas verticais ganharam um ponto de convergência com a tecnologia, se tornando modernas e disruptivas.


Quarto: a transformação digital não é algo temporário. É uma tendência que veio para ficar, de modo a definir os rumos do que entendemos como mercado nos próximos anos. As tecnologias estão sempre evoluindo e trazendo novos resultados para as empresas.


Quais as vantagens para pequenas e médias empresas?

Nesta seção, vamos entender como a transformação digital é benéfica para pequenas e médias empresas.


Aumento de produtividade

Um dos pontos é a melhoria nos indicadores de produtividade. Com a automação e a digitalização de tarefas é possível realizar as demandas cotidianas com maior agilidade, uma vez que há menos processos manuais e repetitivos, menos erros e menos distrações.


Desse modo, a empresa é capaz de atender a aumentos de demanda e se estabelecer no mercado como uma companhia eficiente na solução de problemas de seus clientes. Essa é a chave para o crescimento constante.


Ganho de vantagem competitiva

Também podemos mencionar um ganho considerável de vantagem competitiva e de reconhecimento no mercado. Clientes e outras empresas sempre enxergam com bons olhos as marcas que investem profundamente no digital e adaptam sua cultura para ingressar nessa jornada. Assim, é mais fácil conseguir oportunidades de negócio com parceiros e conquistar novos consumidores.


Além disso, a própria estrutura de melhores processos, maior agilidade e menos erros gera credibilidade e autoridade no mercado. O nome da marca fica associado à qualidade e consistência. Fica associado também a entregas rápidas e precisas. Tudo isso por conta do apoio de sistemas tecnológicos e de uma visão orientada pelo digital.


Melhoria do atendimento ao consumidor

Outro impacto positivo é na melhoria do atendimento ao consumidor. As novas tecnologias são utilizadas para personalizar o contato com o cliente e oferecer maior valor para eles, com tarefas otimizadas. O atendimento fica disponível em diversos canais, com soluções de automação como chatbots, a fim de agilizar os resultados.


Com a integração, é mais fácil resolver problemas dos clientes com um suporte prestativo e eficiente, que consegue encontrar dados sempre que precisa e de forma ágil. A melhor relação da empresa com seus consumidores leva à fidelização desses consumidores, o que é fundamental para fortalecer a base de contatos e manter o negócio em crescimento.


Segurança da informação

A transformação digital implica um uso maior de sistemas digitais e a virtualização dos processos cotidianos. Isso, por um lado, pode ser prejudicial, pois os riscos e impactos de segurança aumentam. Contudo, as próprias soluções tecnológicas são essenciais para proteger as companhias desses riscos, fornecendo visibilidade, monitoramento e até capacidade de predição de ameaças futuras.


Assim, a companhia pode lutar contra os crimes do mundo online com as tecnologias que surgem e evoluem a cada dia. É possível superar os principais desafios e escalar o uso das inovações para proteger informações de negócio, dados de clientes, dados dos colaboradores e dados de parceiros.


A segurança da informação é uma preocupação comum dos dias atuais. Soluções como antivírus, firewalls, criptografia, cópias de segurança e boas práticas são essenciais para auxiliar na defesa de cada empresa. Existem também outras ferramentas mais complexas.


A própria transformação requer uma visão que gerencie com mais cuidado essa questão e a necessidade de privacidade na internet, por exemplo.


Flexibilidade

Um dos aspectos marcantes da evolução digital é a flexibilidade que ela oferece aos gestores, ou seja, a capacidade de alterar os planejamentos para lidar com imprevistos. Os líderes são capazes de se adaptar e se manter flexíveis em diferentes cenários de negócio, em crises e em desafios inesperados, com a certeza de que continuarão atendendo às demandas com agilidade e eficiência.


Há uma certa noção de descentralização das tecnologias que permite essa flexibilidade. Hoje, é possível contratar componentes computacionais e ferramentas tecnológicas como um serviço, por exemplo. Esses componentes são adquiridos de acordo com a demanda específica e possibilitam que a empresa consiga se adaptar a diferentes situações e contextos com escalabilidade.


Colaboração

A transformação também implica na maior e melhor colaboração no ambiente interno. Como as soluções digitais centralizam informações e as estruturam de modo acessível, é possível compartilhá-las com maior facilidade, entre setores, inclusive.


Ou seja, as pessoas conseguem trabalhar juntas, compartilhando informações e arquivos diariamente. Isso possibilita também um alinhamento maior entre os colaboradores.


Menos custos

Além do aumento da produtividade, a transformação digital provoca redução de custos. Afinal, há um foco em eficiência, em consumir recursos apenas para o que é necessário e sem desperdícios. As tecnologias favorecem uma produção precisa, que atende especificamente às demandas e evita gastos desnecessários. Em suma: a empresa gasta menos para produzir mais.


A automação reduz erros e gargalos, como já pontuamos. Essa redução significa menos despesas com retrabalho e outros problemas decorrentes da imprecisão nas operações.


Crescimento seguro e sustentável

Outro ponto que merece menção é o crescimento seguro e sustentável, fundamentado em controle de indicadores e em metas. Com o apoio das inovações, as empresas garantem uma administração segura dos processos, com a medição da performance para entender como podem melhorar.


Ou seja, elas monitoram as operações e o desempenho e buscam dados sobre possíveis ajustes. Organização na gestão de estoque, desempenho nas vendas, produtividade, estabilidade dos sistemas, etc.


Assim, fica mais fácil, também, estabelecer metas claras e possíveis de alcançar. A gestão passa a conhecer melhor as condições atuais e a entender como agir para chegar aos resultados esperados. A empresa, então, cresce de maneira sólida, alcança mais clientes, aproveita oportunidades, elimina riscos e expande os negócios, enquanto é bem reconhecida no mercado.


Quais as tendências de tecnologias para pequenas e médias empresas?

Agora, vamos entender melhor como a transformação digital funciona em termos práticos. Para isso, vamos aprofundar as tecnologias que fazem parte desse conceito e entender como elas operam.


Big Data

O Big Data é o conceito que descreve um mar de dados estruturados ou não estruturados, atualmente, produzidos em tempo real. São dados que provêm de sistemas internos, de redes sociais, de outras fontes da internet e de outros locais. Para ser caracterizado como Big Data,uma base deve ser variada, apresentar um alto volume, trazer valor e ser gerada em alta velocidade.


A grande vantagem do Big Data para pequenas e médias empresas é a possibilidade de geração de insights com as análises desses dados. A partir deles, o gestor descobre padrões e tendências acerca de suas vendas e de seus processos, de modo a tomar melhores decisões.


Podemos mencionar como exemplo a descoberta de produtos que se correlacionam: sempre que um usuário leva X ele também Y. A empresa pode explorar esse padrão e oferecer combos para melhorar ainda mais as vendas e fidelizar seus consumidores.


Blockchain

O Blockchain é uma tendência que surgiu com a explosão das criptomoedas, funcionando como um aparato tecnológico para registro de transações virtuais. Consiste em uma cadeia de blocos conectados entre si, com criptografia para proteger os dados. Assim, é uma tecnologia poderosa para otimizar registros financeiros com o intuito de prevenir fraudes e outros riscos.


Afinal, na cadeia de blocos, tudo fica registrado de forma transparente. Para que um novo bloco seja adicionado ele precisa ser validado por uma rede de mineradores (que fornecem capacidade de processamento para a cadeia).


Caso um mal-intencionado queira alterar os dados de um dos blocos ou interceptar as informações precisará alterar todos os outros em sequência, já que estão interligados diretamente. Isso é praticamente impossível de ser feito rapidamente, pois existem muitos elementos e novos blocos são adicionados em tempo real. Se o criminoso não mudar todos, o bloco interceptado perde sua validez por se desconectar do blockchain.


Geolocalização

As tecnologias de geolocalização possibilitam encontrar um dispositivo ou uma pessoa a partir de sua localização atual. Ou seja, são inovações que facilitam o monitoramento e rastreamento de objetos e usuários, de modo a atender inúmeros objetivos. Podem ser usadas para rastrear cargas ou encontrar produtos em um estoque, por exemplo.


Computação em nuvem

Em um cenário de transformação digital para pequenas e médias empresas, a computação em nuvem (cloud) funciona como uma base fundamental para que tudo funcione, permite que a companhia contrate pacotes de recursos computacionais (processamento, espaço de armazenamento, plataformas) para lidar com as demandas internas.


Assim, como mencionamos, a empresa consegue contratar um sistema ou uma infraestrutura na cloud e evita arcar com a contratação e instalação de infraestrutura física. Ou seja, dispensa custos com licenças, manutenções, espaço físico, refrigeração, etc.


Há, portanto, aumento da flexibilidade e redução de custos. Como os pacotes são oferecidos como serviço, a gestão terá apenas que arcar com um valor mensal quando necessário.


Sistemas de gestão

Os sistemas de gestão são ótimas soluções para garantir o começo da transformação em muitas pequenas e médias empresas. São softwares que atendem aos requisitos deste conceito: automatizam tarefas, integram processos e aplicações, centralizam a gestão, otimizam operações, permitem compartilhamento fácil e reforçam a segurança.


Como exemplo desses softwares podemos destacar:


● o CRM, que gerencia o relacionamento com os clientes;


● o ERP, que gerencia a organização de maneira centralizada, com módulos integrados que cuidam de cada setor;


● e sistemas de gestão de projetos, que administram custos, recursos, pessoal, prazos e responsabilidades para otimizar os projetos.


A transformação digital é um fenômeno presente em todos os âmbitos da pós-modernidade. No universo das empresas, não é exclusiva para grandes organizações, uma vez que está acessível para solucionar os desafios de pequenas e médias empresas também. Como vimos, a transformação gera redução de custos, aumento da produtividade, flexibilidade e crescimento seguro e controlável.


Gostou do conteúdo? Então assine a nossa newsletter e fique sempre sabendo das nossas novidades!