top of page

Entenda os riscos de conectar dispositivos em redes Wi-Fi públicas

Em nossa era digital, a conectividade é essencial para o sucesso dos negócios. No entanto, a busca pela conveniência de se conectar a redes Wi-Fi públicas pode representar um grande perigo. Vamos entender os riscos associados aos dispositivos corporativos conectados em redes abertas e destacar quais são as ameaças mais comuns, relacionadas a essa ação tão simples e muitas vezes inocente.


Os riscos subestimados

Roubo de dados: A segurança dos dados é crucial para qualquer organização. Ao conectar computadores corporativos em redes públicas, os colaboradores correm o risco de expor temas confidenciais a hackers habilidosos. Esses criminosos podem interceptar comunicações e roubar ativos valiosos, incluindo informações de clientes, planos estratégicos e registros financeiros.


Malwares e vírus: Redes públicas são terreno fértil para diversos tipos de malwares e vírus. Quando um dispositivo corporativo é infectado, pode acabar comprometendo seriamente a segurança dos dados, e consequentemente afetando uma operação inteira. Isso acontece porque o computador pode disseminar as ameaças para as outras máquinas que estão conectadas à mesma rede, no escritório, por exemplo.


Ransomware: Os hackers por trás desse ataque, exigem um resgate em dinheiro, geralmente em criptomoedas como o Bitcoin, em troca da chave de descriptografia necessária para restaurar os arquivos das empresas atacadas. É uma forma de extorsão digital altamente prejudicial, que causa danos financeiros, operacionais e pode manchar a reputação da instituição.


Segundo pesquisa da empresa de cibersegurança Fortinet, só o Brasil registrou cerca de 36% de todos os casos de ameaças na América Látina. O levantamento ainda destaca que a maioria dos ataques são malwares do tipo ransomware, e que são específicos para cada região.


Spyware: O spyware é silencioso e extremamente traiçoeiro. Ele coleta informações confidenciais sem que o usuário sequer perceba que algo está acontecendo. Em 2021 os smartphones de trinta e sete jornalistas, ativistas e executivos, foram alvo de um spyware de nível militar.


A informação, na época divulgada pelo jornal The Washington Post, diz que os aparelhos faziam parte de uma lista com mais de 50 mil números, e entre eles estavam o contato de políticos, executivos do setor privado e até diplomatas.


Phishing: Redes Wi-Fi públicas são um terreno fértil para ataques de phishing, um dos mais comuns e frequentes da atualidade. Em termos simples, os cibercriminosos tentam enganar os usuários para revelar informações confidenciais ou credenciais de login.


Em 2022 o Brasil foi considerado o campeão em ataques phishing por WhatsApp, foram cerca de 76 mil ataques apenas pelo aplicativo. O relatório Spam e phishing em 2022 da Kaspersky, mostra que 500 milhões de tentativas foram barradas pelo sistema anti-phishing da empresa.


Protegendo sua empresa:

Algumas ações são essenciais para evitar as ameaças mencionadas. Utilize uma VPN confiável para criptografar o tráfego de internet, mantenha, firewall e software sempre atualizados para identificar e bloquear ameaças em tempo real.


Treine sua equipe para reconhecer e evitar ameaças online, como o phishing e instrua-os a evitar o uso de redes públicas para tarefas sigilosas. Também implemente políticas rígidas de acesso à rede e diretrizes de uso para dispositivos corporativos e mantenha um monitoramento ativo constantemente.


Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando o nosso blog. E se quiser conhecer o Smart Firewall clique aqui e fale com um especialista da Ávato.


Ávato - Soluções que simplificam!


Kommentare


bottom of page